fbpx

Índice do artigo

6. Meditação
Dia da Mãe. Sobre esta Terra dorida, anestesiada e indiferente, uma Mãe verdadeira ainda é o ícone mais belo deste amor imenso e sem pauta nem medida, que não é meu, nem é teu, nem é nosso. É de Deus. Nós sabemos isso. Mas uma Mãe sabe isso melhor. É por isso que é fácil, neste Dia da Mãe, ver cair pelo rosto de cada Mãe uma lágrima de tristeza ou de alegria! Melhor assim, Mulher e Mãe: sentirás a mão carinhosa de Deus a afagar o teu rosto e a enxugar essa lágrima, de acordo com a lição da Leitura do Livro do Apocalipse 21,4 (D. António Couto).
7. Oração
Buscadores de Deus. Que mais Te queremos pedir nesta manhã, Senhor, senão o Teu regresso. Precisamos duma nova criação da ternura e da bondade. Tanta, que dê para encher o mundo numa linguagem atual e cativante. Precisamos de um espaço onde Deus se faz História para o homem, não de um lugar onde o homem compra o espaço de Deus. Procuramos ritmos de futuro onde Deus nos crie espaços. Gostávamos de “amar as pessoas e o mundo em Deus”. “Tal como vemos as pessoas e o mundo iluminados pela luz”. “Ele é a “biosfera de todo o verdadeiro amor”. (Tomás Halík).
8. Contemplação
«Viremos a ele e faremos nele a nossa morada.» Jo 14,23
O nome de Deus é «Aquele que gosta da proximidade,
que encurta incansavelmente
as distâncias», paixão de se unir.


O Misericordioso sem casa busca casa.
E busca-a justamente em mim.
Possivelmente, nunca encontrará uma verdadeira morada,
só um pobre casebre, mas uma só coisa Ele me pede:
ser um fragmento de cosmo hospitaleiro.


Se não o ouvires em segredo,
talvez a tua casa interior esteja vazia.
(Esperança que nasce da palavra)
8.2 Contemplação - Poema
Homenagem às mães
Cantarei ao teu olhar onde brilham pradarias
espelho de águas do rio cristalinas.
Mãe, minha mãe,
recebe hoje brancas aleluias.


Cantarei ao teu xaile onde me envolveste,
e inventaste canções para me adormecer.
Mãe, colo de açucenas
perfumadas em teu amanhecer.


Cantarei a esse jeito de tudo fazeres
dessa longa espera sem adormeceres.
Mãe, doce ternura
por meu amor loucura.


Cantarei à lua branca em teu céu estrelado,
vagabunda, símbolo da tua solidão.
Mãe, em teu sonho
quero hoje adormecer.


Cantarei meu hino aos filhos de ti nascidos.
Toma botões de rosas vermelhas a abrir.
Distribui amor, mãe, distribui.
Para eles também é o teu dia.


Cantarei ao tempo, teu tempo e meu tempo,
perdido nos poentes das nossas vidas.
Mãe, estás muito cansada,
mas és e serás sempre uma Mãe querida.


“O teu rosto Mãe
dá-me esperança.
O teu rosto Mãe
é de uma Santa”.
És Mãe, sempre Mãe.
És Mãe, minha Mãe.
Disco Codevi, Fogo de Deus

Siga-nos

Visite as livrarias

Quem Somos

Somos uma editora católica, fiel ao carisma de S.João Bosco. Especializados em catequese e pastoral juvenil, estamos em Portugal há quase 70 anos. "Educação e Evangelização" é o nosso lema. Temos lojas próprias nas cidades do Porto, Lisboa e Évora e estamos presentes nas principais livrarias católicas portuguesas.

Contactos

Rua Duque de Palmela, 11
4000-373 PORTO

(+351) 225 365 750

edisal@edicoes.salesianos.pt