fbpx

Propomos um esquema de celebração penitencial para fazer na comunidade ou grupo de catequese.

Objectivos:

– Fazer uma celebração comunitária de reconciliação com possibilidade de reconciliação individual.
– Experimentar em primeira pessoa a alegria do perdão de Deus e da comunidade.
Estratégia
– Celebração penitencial, com escuta da Palavra de Deus e seu comentário, exame de consciência, gesto de reconciliação, confissão individual dos pecados e acção de graças comunitária final.
Materiais:
– Esquema da celebração
– Enxerga, com lençol e cordas, conforme o relato do evangelho.
– Telhas partidas.
– Ligaduras para o gesto que antecede a confissão individual.
– Cruz (duas tábuas) onde após a confissão os participantes atam as suas ligaduras.
– Focos para criar ambiente na sala.

Ambientação:

– Em lugar de destaque coloca-se uma enxerga com panos, um lençol, algumas telhas espalhadas e muletas de pau a imitar as antigas e a que poderia usar o paralítico do evangelho.
– Com focos de luz cria-se um ambiente de recolhimento e de luz indirecta.
– Todos se colocam em posição confortável.

Introdução

Guia: Jesus soube manter-se fiel a Deus mesmo qundo a sua fidelidade foi levada ao limite. O Seu percurso de liberdade interpela-nos. Como Seus discípulos também nós optámos por usar a nossa liberdade pelo Reino, pelo amor. Mas um pouco de lucidez mostra depressa que em nós nem tudo está em ordem: temos falhas, infidelidades, esquecimentos, abandonos.
Há pontos escuros que não nos deixam ver com clareza, estamos marcados pela incoerência. Perguntas como “como vivo a minha vida?”, “como me relaciono com Deus?”, “Quais são as minhas atitudes com os outros?” precisam agora de uma resposta de perdão. Sentimos necessidade de recuperar a paz interior, precisamos de nos sentir perdoados. Recompor-nos diante de Deus, da comunidade e de todos os irmãos.
Apesar das nossas infidelidades há esperança para nós. Em Cristo que deu a sua vida por todos temos a oportunidade de nos reconciliarmos.

Canto

Presidente: Em nome do Pai, Filho e do Espírito Santo. A Graça e a paz de Deus estejam convosco.
Oremos. Senhor nosso Deus, que vieste procurar um povo de gente livre e feliz; vem curar-nos dos nossos egoísmos, do nosso uso cego da liberdade. Vem ensinar o nosso coração a amar de novo.

Guia: Para os cristãos pedir perdão não é vergonha nem gestão da culpa. É descobrir que apesar do nosso não-amor, Deus sempre nos ama. E esse amor sem limites é capaz de nos curar.

Comecemos por escutar a Palavra do Senhor. É uma palavra simples e que nos deve interpelar hoje, aqui e agora. Escutemos: fala da força da comunidade, da força do perdão de Jesus e da alegria de voltar a começar de novo. Escutemos.

Texto Bíblico (Lc 5, 17-26)


Pequeno comentário - Homilia
Para este comentário seria muito importante dialogar com os participantes, destacando:
» A motivação da comunidade, do grupo, dos quatro amigos que levam o paralítico a Jesus. O papel da comunidade é levar aqueles que estão longe a Jesus; levar os que estão doentes até ao médico; levar os que andam longe de Jesus a um encontro com Ele. E para esse encontro, superam todas as dificuldades. Também nós colo¬camos muitas dificuldades para um encontro com Jesus, mas com a ajuda da comunidade, é mais fácil vencer as barreiras que nos afastam de Jesus.
» É a fé, a confiança em Jesus que leva ao perdão dos pecados, que leva à libertação. “Vendo a fé daqueles homens, disse: Homem, os teus pecados estão perdoados”.
» A nossa maior doença são os nossos “pecados”. E são os nossos pecados que causam a nossa maior cegueira, como àqueles fariseus que não “quiseram ver” a acção de Deus, na acção de Jesus. Jesus perdoa os pecados, exactamente porque é Deus! A sua adesão à causa do reino é tão forte que se torna capaz de arrastar outros com Ele.
» “Levanta-te e anda!” É o que Jesus nos diz também hoje a nós. Podemos deixar para trás o egoísmo, o não-amor, o pecado, e começar de novo; Jesus tem o poder de nos levantar das situações que nos aprisionam. Le é capaz de curar a nossa paralisia e fazer-nos andar em direcção à vida, à verdade, ao amor, à fé, a uma vida com sabor e sentido...
» Uma vez perdoados, poderemos “pegar na enxerga” e voltar para casa. Voltar para a vida renovados, diferentes, glorificando a Deus. Glorificando a Deus porque a história de Jesus se torna a nossa história.

 

Guia: Façamos agora um momento de pausa. É tempo de olharmos para a nossa vida. Para o caminho sagrado que percorremos todos os dias. Não esqueças que não estás sozinho. Ao teu lado estão muitos amigos, dispostos a pegar na tua enxerga e levar-te até Jesus. Está também Jesus que rezou pela sua e pela nossa fidelidade.

Exame de Consciência

» Diante da minha vida, que devo pedir a Jesus na confissão dos meus pecados?

» Há tantas coisas... e no entanto, sou tentado a dizer que “não peco”, não “faço grandes coisas” mas as pequenas coisas, todas juntas, são muitas.
» Digo-me cristão. Mas quero mesmo assumir como minha a causa de Jesus? Ou são só palavras?
» A relação com os outros, sobretudo com os que me são próximos, diante de Deus, deixa-me tranquilo ou preciso de pedir também agora perdão a Jesus pela incapacidade de perdoar, de compreender, de superar pequenas coisas, de ser paciente, de me dar com generosidade, de...
» O que tenho de melhorar na minha oração?
» Como ponho a Palavra de Deus em prática?

Canto
Meditação

Meditemos um pouco e todos juntos peçamos perdão, como comunidade que se aproxima de Jesus para lhe apresentar as nossas doenças, esperando que nos diga, também hoje, pega na tua “enxerga e anda”, porque os teus pecados estão perdoados!

Todos: Eis-nos aqui, Senhor!
Senhor Jesus
Tu perdoaste os pecados do paralítico
E fizeste-o caminhar de novo.
Acredito que tens poder e vontade
Para fazeres o mesmo comigo.
Aqui te peço,
Que me acolhas com o teu perdão.
Cura-me do medo de tomar decisões responsáveis.
Ajuda-me a assumir a vida com responsabilidade.
Dá mais força às raízes da minha amizade contigo.
Torna-me mais consciente
Do facto de que tu estás presente
Na minha vida com o teu perdão.
Mesmo quando me sinto débil e desorientado
Vem ao meu encontro e fica comigo, por favor.

Sei como é grande a minha resistência,

Como é mais fácil escolher viver nas trevas

Que aceitar a tua luz...

Mas sei também como
Continuamente me chamas para a tua luz
Na qual posso contemplar o teu rosto benevolente.

Gesto

» Antes de nos dirigirmos ao sacerdote, aproximamo-nos desta enxerga e atamos as nossas mãos com “ligaduras”, que nos prendem ao pecado. Antes de iniciarmos a confissão, pedimos ao sacerdote que nos liberte destas “ataduras ao pecado”.
» Depois de nos confessarmos, vimos de novo e enredamos as nossas ataduras a esta cruz de madeira que usaremos no final do nosso dia.

Confissões individuais
Textos para meditar

Medita em silêncio os seguintes textos. Faz deles oração enquanto te preparas para a Confissão, ou quando já te tiveres confessado.

 

Falar é fácil

Não voltar atrás (Tagore, Noibeddo)

Falar é fácil, não assim escutar.
Ouvir como se ouve chover.
Ouvir o som de um sino
Que vem de longe,
Sem saber de onde vem,
Até isso, parece fácil.
Não assim, escutar.
Escutar alguém
Em primeiro lugar, significa afastar
Tudo o que nos possa distrair o ouvir,
A nossa mente, o nosso espírito.

Escutar é construir um silêncio
Suficientemente intenso
Para expressar o grito interior:
“Neste momento só existes tu!
Para mim não existe nenhum outro som
Que a música das tuas palavras!”

Escutar alguém
Significa parar,
Parar num lugar
Para pôr fim à agitação, como quem diz:
“Agora tu és o meu centro, a minha meta!
A minha estrada conduz somente a ti!”

Escutar alguém significa parar
De olhar para ti mesmo e dirigi-lo ao outro,
Colocar-se face a face, como quem diz:
“Estou aqui. Não tenho nenhum outro interesse!
Estou pronto a acolher todos os sussurros das tuas palavras!”.

Escutar equivale a acolher,
A abrir completamente as portas
E abater todas as fortalezas e fronteiras
Atrás das quais nos barricamos...

Escutar o outro equivale a não fazer caso
A nós mesmos e preferir o outro.
É preferir aquele que tenho diante
E acolhê-lo com o seu saco cheio
De roupas mais ou menos limpas;
Porque sou seu...

É aceitar que entre em mim.
Significa receber o outro com os seus sonhos,
Os seus desejos,
Com os seus gostos e desgostos;
Com as suas preferencias e medos.
Significa ceder o lugar
Oferecer-lhe as chaves de casa, como se lhe disséssemos:
“A tua presença faz mudar tudo
mas corro o risco; quero escutar-te!”

E quando nos referimos a Deus, poder dizer:
Eis-me aqui, Senhor.
A tua presença
Faz mudar tudo,
Mas corro esse risco,
Hoje quero escutar-te!

Não voltar atrás
Se a porta do meu coração
Estiver fechada, Senhor,
Arromba-a e entra no meu interior:
Não voltes atrás....

Se um dia qualquer, nas cordas do alaúde,
Não ecoar o teu doce nome,
Por favor, espera um pouco,
Não voltes atrás...

Se uma vez qualquer, a tua voz
Não acorda o meu sono profundo,
Acorda-me com o ruído do trovão,
Não voltes atrás...

Se um dia qualquer no teu trono
Eu fizer sentar um outro
O Rei de todos os dias da minha vida,
Não voltes atrás...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cristo reconciliador e paz (B. Häring)
Oh Cristo reconciliador,
liberta-nos do egoísmo e do orgulho,
que levam ao fruto amargo das discórdias,
rixas, iras, ciúmes, conflitos, invejas.

Manda-nos o teu Espírito
Para que possamos receber os seus frutos:
A caridade, a alegria, a paz, a paciência,
A benignidade, a bondade, a fidelidade,
A gentileza, a temperança.

Dá-nos a coragem
De crucificar de vez o nosso egoísmo
E a superar o egoísmo encarnado
Em tantas estruturas e no nosso ambiente.
Torna-nos, mesmo que o preço a pagar seja elevado,
Ministros de reconciliação
Na Igreja e no mundo.

Oração final

Presidente:
Faz, Senhor, com que o teu Espírito de Perdão nos faça prosperar no caminho da santidade que nos propões como meta de vida.
Que a tua Graça, Senhor, nos acompanhe todos os dias do nosso existir.
Por Cristo, Teu Filho, na unidade do Espírito Santo.

Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe.

Canto

---

Outras Propostas - O Perdão e a Paz   Celebrações da Palavra sobre o pecado, perdão de Deus e vida nova

Felizes - Exame de Consciência

Siga-nos

Visite as livrarias

SalesianosEditora LogotipoHRZ

Quem Somos

Somos uma editora católica, fiel ao carisma de S.João Bosco. Especializados em educação, catequese e pastoral juvenil, estamos em Portugal há quase 70 anos. "A força da Palavra" é o nosso lema. Temos lojas próprias nas cidades do Porto, Lisboa e Évora e estamos presentes nas principais livrarias católicas portuguesas.

Contactos

Rua Duque de Palmela, 11
4000-373 PORTO

(+351) 225 365 750

geral@editora.salesianos.pt