fbpx

Índice do artigo

Uma das orações tradicionais da Igreja, que aprendemos da boca de Jesus, sob a forma de "mapa de vida" para o casal de namorados. A partir de cada frase, sugere-se uma meditação, algumas perguntas de reflexão e uma oração. Para que o casal de namorados fortaleça as raízes do seu amor na oração a três. 

Pai Nosso

Com estas duas palavras reconhecemos que entre nós há uma ligação original: ambos somos filhos de Deus. É uma ligação que, antes de mais, nos faz irmãos, nos faz pessoas humanas, revestidas daquela imensa dignidade que vem de Cristo. "Pai nosso" significa que somos filhos, criaturas necessitadas, frágeis, débeis. Jesus ensinou-nos a dirigirmo-nos ao Pai com ternura, com afeto. Deus é pai bom, é amor.

Que estais nos céus

Deus é transcendência. É "outro", é mistério. Presença invisível. O vosso caminho de fé só será autêntico se não se bloquear diante dos obstáculos, das perguntas que parecem não ter resposta. O vosso caminho de fé só será autêntico se não se bloquear dianta da aparente ausência, do "silêncio de Deus".

Santificado seja o vosso nome

Estamos em marcha para uma meta: a vida a dois. Se reconhecemos que também isto é dom de Deus, nasce espontânea a exigência de reconhecer as maravilhas do seu nome. "É belo louvar o Senhor" juntos, dar testemunho a toda a gente da sua bondade.

Venha a nós o vosso reino

É uma invocação que pede total disponibilidade a Deus. Dizer "venha o teu reino" significa abrir o coração à sua presença, tornarmo-nos disponíveis para um duplo compromisso:

- Trabalhar para que o Reino de Deus se realize desde já na justiça, na paz, na solidariedade entre os homens;

- Testemunhar, com a própria vida, o Reino que deve vir. Aquele que Cristo anunciou e prometeu.

Seja feita a vossa vontade

Para os namorados, estas palavras são um programa de vida, um empenho constante.

Vivemos um tempo de busca. Encontrámo-nos um com o outro. Entre nós nasceu um afeto sincero. Reconhecíamo-nos feitos um para o outro. Agora é o tempo de nos confrontarmos, de crescer, de escolher.

Perguntamo-nos:

- Qual é a vontade de Deus para nós?

- Como orientamos o nosso futuro?

Procurar a vontade de Deus exige, sobretudo, uma grande coragem. Fazer a vontade de Deus pode querer dizer, renunciar a projetos, abrir os olhos sobre realidades próximas de nós, discutir escolhas já tomadas.

"Faça-se a tua vontade", Pai,

nas nossas vidas,

no nosso presente e no nosso amanhã,

em nós e nas pessoas

que estão ao nosso lado.

Pai, que o nosso amor seja concreto,

Modelado pelo de Cristo:

"seja feita não a minha, mas a tua vontade".


Dai-nos hoje o pão nosso de cada dia

O trabalho, o estudo, os recursos... É fácil esquecermo-nos de onde vê, os bens que temos à disposição. E então nascem as preocupações (que podem tornar-se angústia), os medos ou os desperdícios, os excessos.

O "pão de cada dia" é o que precisamos, amanhã, para viver com dignidade. Chama-se trabalho, cada, cuidados médicos, cultura. Mas o "pão de cada dia" é também o dos pobres, empenho social, generosidade, renúncia...

"Cada dia" é a certeza que Deus não nos abandona. Mesmo quando no futuro se veem incertezas e dificuldades económicas. Esperar "casa dia" do Pai é a atitude de quem não acumula desmesuradamente mas sabe partilhar com os outros.

Pai, dá o teu sustento

Material e espiritual

A nós e a todos os nossos irmãos

Servindo-te também de nós,

Dos meios que Tu nos deste.

Perdoai-nos as nossas ofensas como nós perdoamos a quem nos ofendeu

O amor do Pai manifesta-se no perdão misericordioso. O perdão do Pai não pesa. Liberta. Dá alegria. Mas é também um perdão que responsabiliza, que faz amadurecer. Assim deve ser o perdão entre nós e o nosso perdão face aos outros

Pai, perdoa-nos

Conduz o nosso coração 

Ao perdão recíproco de cada irmão

Não nos deixes cair em tentação

Pedimos muitas vezes ao Pai a força do seu Espírito porque somos frágeis e a tentação de não ser fiel aos compromissos é grande. Sermos dois é uma ajuda, visto que juntos podemos desmascarar as ilusões do pecado

Há sempre novas tentações:

Isolarmo-nos no nosso "mundo a dois",

Esquecendo os irmãos;

Viver só de sensações;

Esgotar o nosso amor numa

Apressada e imatura sexualidade,

Pensar só em nós mesmos.

 

Mas a nós o Pai dará novas forças:

Abrirmo-nos a Ele numa oração renovada;

Amá-lO sem restrições;

Olhar para lá dos limites do casal;

Partilhar e enfrentar também os momentos difíceis;

Partilhar, em profundidade, os nossos sentimentos mais verdadeiros;

Amadurecer o nosso ser homem e mulher na direção de uma doação generosa;

Darmo-nos a nós mesmos à queles que estão à nossa volta.

Pai, salva-nos do perigo de trair-Te 

E de nos trairmos:

Queremos amar-Te com todas as nossas forças.

 

Mas livrai-nos do mal

Confiamos ao Pai todas as nossas dificuldades para não perder nunca a confiança n'Ele.

Pai, liberta-nos de tudo

O que nos afasta do teu amor.

Liberta-nos, sobretudo, do pecado

Que ameaça o nosso caminho para Ti.

Oração retirada do livro "As raízes do amor - para uma espiritualidade do namoro", Edições Salesianas, 2004; Menghini, Cristina; Righero, Patrizio  

Siga-nos

Visite as livrarias

Quem Somos

Somos uma editora católica, fiel ao carisma de S.João Bosco. Especializados em catequese e pastoral juvenil, estamos em Portugal há quase 70 anos. "Educação e Evangelização" é o nosso lema. Temos lojas próprias nas cidades do Porto, Lisboa e Évora e estamos presentes nas principais livrarias católicas portuguesas.

Contactos

Rua Duque de Palmela, 11
4000-373 PORTO

(+351) 225 365 750

edisal@edicoes.salesianos.pt