O amor coarctado


O amor como um pequeno chocolate: de sabor intensíssimo, mas que dura pouco?
De vez em quando acontece. A comparação não é muito poética, mas funciona.

Algumas vezes, também o amor (e as amizades) que partem
com a garantia máxima, que parecem destinadas a durar eternamente, «encravam», entram em crise e, frequentemente, esgotam-se, deixando amargura e sofrimento.

SUFOCADOS

Oprimidos ou… presos por qualquer outro pensamento: um belo dia. o acto de estardes juntos, que até à semana anterior era uma reserva e uma recarga de energia e de encantamento, transforma-se.
«O amar não possui e não quer que o possuam, porque ao amor, basta só o amor»
Gibran
A ligação torna-se uma cadeia; o encontro, uma obrigação telefonema, uma coação. Já não sois ambos a percorrer uma parte do caminho, mas dois que dificilmente se suportam.
Dois que, realmente, se amam, mas com muita dificuldade!

MOTIVOS?

Quantos quereis? Dos mais estúpidos e ridículos aos mais sérios. Quando o amor fica demasiado coarctado, pode acontecer que:
1. Ela pretenda demasiadas atenções e ele não esteja disposto a andar só à volta dela. Também há os amigos, o desporto e muitos outros interesses que o atraem. Em suma: já não lhe bastam dois corações e uma cabana. Ele precisa também de outros espaços!
2. Ela deseja que sejam um casal «como os adultos», enquanto ele só sabe oferecer-lhe atenções «de jovem». E, depois, é tudo uma ciumeira pegada, um «Só sais comigo», «Só te vestes como eu disser»,«Não podes olhar para as outras raparigas». Deste modo, o casal torna-se uma pequena prisão, de que se quer fugir o mais depressa possível.
3. Ele e ela estão bem dispostos e bem intencionados para crescer pouco a pouco no verdadeiro amor; mas, embora experimentando e tentando tudo, não conseguem fazer coincidir as exigências comuns. Gostam um do outro, mas não parecem pretender pôr em discussão as liberdades de cada um. E não conseguem avançar. Não são capazes caminhar de mãos dadas, porque… dar, nem que seja apenas uma mão, significa dar tudo, estar dispostos a por-se em jogo, a dar um pontapé no egoísmo.

UBERDADE A TODO O CUSTO

Abaixo todas as cadeias! – pensam alguns.
O amor deve ser livre! Mas livre não significa irresponsável ou imaturo. Significa límpido, simples e aberto. Se o casal estiver coarctado; se quando estais juntos não vos sentis à vossa vontade, não vos sentis aceites, quer dizer que alguma coisa não vai bem. Quer dizer que, talvez, ainda não tenha chegado a hora de uma relação com um «R» grande que seja comprometedora e séria. E, se for realmente assim, não vades imediatamente consultar um especialista para ver se alguma rodinha não funciona bem. O amor adolescente, o sentimento que vos aquece o coração, tem de ser construído lentamente. E para ser tomado em pequenas doses, proporcionadas às vossas necessidades, à vossa disposição e à vossa sensibilidade.

ALGUNS CONSELHOS

Quereis mandar àquela parte o vosso parceiro por que já não o aguentais e vos sentis tão oprimidos que até a respiração vos sai ofegante? Antes de lhe enviardes uma bonita carta de adeus («Já não te amo. Adeus!»), Antes de atirades com tudo às urtigas experimentai seguir estes conselhos:
a. Verifica se, dentro de ti, estás mesmo coarctado, se a ligação que te une ao/à outro/a te impede verdadeiramente de seres tu próprio/a, de te abrires aos outros e de viveres em plenitude a tua vida de adolescente.
b. Se as coisas forem realmente assim, tenta falar nisso com o/a teu/tua parceiro/a para encontrardes a melhor solução para ambos.
c. Se não conseguirdes encontrar uma solução e não previrdes que as coisas melhorem, pois até tendes a impressão de que poderão piorar, então mudai de rumo. É mais honesto e menos arriscado. Saudai-vos como bons amigos e não tenhais pressa de viver uma experiência reservada para mais tarde, para quando estiverdes preparados para o amor.
d. Não vos façais de vítimas. Inseri-vos numgrupo, frequentai companhias interessantes, praticaium desporto, interessai-vos por actividades para adolescentes organizadas na vossa escola, paróquia ou associação. Escolhei alguma coisa que vos faça bem e… vivei plenamente: dentro de vós há uma águia pronta para voar muito alto em pleno céu e não para estar presa numa gaiola.

Partilhe

Facebook
WhatsApp

Mais recursos

Todas
Recursos 502
Oração 174
Músicas 0
Técnicas e Dinâmicas 31
Avaliar-me-catequista-crente
Avaliar-me como catequista e como crente!
Partilhamos um esquema de avaliação e desempenho para catequistas. Não pretende fazer acusações nem premiar...
Pentecostes-1
Pentecostes ou as línguas de fogo
O livro "Da mão para o coração - 5 minutos de criatividade para a Bíblia" sugere uma atividade para se...
6 dicas Tempo Pascal
Seis ideias para dinamizar o Tempo Pascal

Há diversas formas de convidar a comunidade a celebrar a Páscoa.

Dia do Pai
Dia do pai - celebração familiar
Este dia celebra-se no dia 19 de março, porque é o dia de S.José. Sugerimos esta breve celebração antes...
5 dicas para a Quaresma
5 dicas para dinamizar a Quaresma
Neste artigo, damos-te cinco dicas para dinamizares a Quaresma, envolvendo as crianças e famílias da...
Dramatização do Evangelho
Dramatização do Evangelho
A dramatização é uma das linguagens possíveis para anunciar o Evangelho. No teatro, comunicamos com o...
Como lidar com fracasso catequese
Como lidar com o fracasso na catequese?

Às vezes, as coisas correm mal. Como reagir?

Festa da Gratidão
Festa da Gratidão - Encerramento do ano
Quando termina um ano de atividades, é oportuno que a comunidade se reúna para agradecer. A este momento...