Para o mês de Maio 27

Maria, companheira no caminho

Saudação Inicial:

Presidente: Em nome do Pai e do Filho e do
Espírito Santo.

Assembleia: Ámen.

Presidente: A graça de Jesus Filho de Deus e de Maria esteja sempre
connosco.

Assembleia: Bendito seja Deus que nos reuniu no
amor de Cristo.

 

Admonição
inicial

 

Cristo, Deus verdadeiro, Deus verdadeiro, o
Verbo feito carne, habitou entre nós.

Fez-se homem: nasceu, cresceu, viveu e morreu
como qualquer um de nós.

Como qualquer um de nós, no que diz respeito
ao ciclo de vida, mas não no que toca à forma como viveu essa vida. Mas como
Homem que foi, Ele veio para nos mostrar que o amor é a força da vida e que
seguindo o seu exemplo de amor, nós também podemos chegar ao Pai, à torrente de
água viva, à felicidade eterna.

A seu lado teve uma família e em particular
uma mãe especial.

Essa mãe que O trouxe ao mundo dos Homens,
que O viu crescer, que guardava no seu coração as Suas palavras e as Suas
atitudes, foi a Sua inseparável companheira de viagem, até à morte na cruz.

Mas nem nisto Cristo quis ser diferente e por
isso, no momento supremo do seu acto de amor, prestes a entregar a Sua vida por
nós, disse do alto da cruz para Maria, sua mãe – “Mulher, eis aí o teu Filho” –
e ao discípulo que amava, que aqui pode ser um símbolo de toda a humanidade e
de cada um de nós, disse – “eis aí a tua mãe”- fazendo da sua Mãe querida, Mãe
de todos de nós. Por isso, hoje podemos estar confiantes que Maria, aquela mãe
companheira, fiel e amorosa, continua do nosso lado, junto com o seu Filho
ressuscitado, como permaneceu sempre do lado d’Ele, em todas as horas e
particularmente nas mais difíceis.

Na meditação dos mistérios dolorosos, vamos
recordar o acto de amor com que Jesus nos resgatou à Morte e nos colocou no
caminho da ressurreição, com Maria Sua e nossa Mãe, sempre nos amparando.

 

 

Recitação
do Terço

Mistérios
dolorosos

 


Mistério
A Agonia de Jesus no Horto

 

“Pai, se quiseres afasta de Mim este cálice,
não se faça contudo, a Minha vontade, mas a Tua” (Lc. 22, 42)

Tal Mãe, tal Filho.

Sinais perfeitos da entrega total do Homem a
Deus.

Exemplos da fé plena no projecto que o Pai
tem para cada um de nós.

 


Mistério
A flagelação de Jesus

 

“Pilatos, vendo que nada conseguia e que o
tumulto aumentava cada vez mais, mandou vir água e lavou as mãos dizendo:
«Estou inocente do sangue deste justo. Isso é convosco». … Quanto a Jesus,
depois de O mandar açoitar, entregou-lho para ser crucificado.” (Mt. 27,
24-26).

Jesus é nosso Deus. É o caminho da salvação.

Não lhe podemos virar a cara. Temos que ser
suas testemunhas.

 


Mistério
A coroação de espinhos

 

“Despiram-n’O, envolveram- n’O com uma com
uma clâmide escarlate e, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-Lha sobre a
cabeça, bem como uma cana na mão direita. Dobrando o joelho diante d’Ele,
escarneciam-n’O, dizendo «Salvé, rei dos Judeus»! E cuspindo-Lhe no rosto,
tomavam a cana e batiam-Lhe na cabeça.” (Mt. 27, 28-30)

E nós como tratamos a Jesus? Continuamos a
espetar-Lhe os espinhos do nosso distanciamento, ou acolhemos com ternura o seu
desafio de amar o outro?

 


Mistério
Jesus leva a cruz ao calvário

 

“Levaram, pois, consigo Jesus. E, carregando
às costas a cruz, saiu para o lugar chamado Crânio, que em hebraico se diz
«Gólgota»” (Jo. 19, 16-17)

Neste martírio, Deus Filho carrega, na sua, a
cruz de cada um de nós, para tornar mais leve o nosso jugo. Mas também nos
recorda que quem não for capaz de carregar a sua própria cruz para o seguir,
também não é digno d’Ele.

 


Mistério
Crucifixão e morte de Jesus

 

“Clamando outra vez em voz alta, Jesus
expirou. Então o véu do templo rasgou-se em dois de alto a baixo; a terra
tremeu e as rochas fenderam-se….O centurião e os que guardavam Jesus, vendo o
tremor de terra e o que estava a acontecer, ficaram apavorados e disseram:
«Este era verdadeiramente o Filho de Deus»!” (Mt. 27, 50-54)

Façamos também da nossa vida um acto de
contrição contínuo, recordando a mensagem de João Baptista: #arrependei-vos e
acreditai que já chegou o Reino dos Céus”.

 

 

P- Três Ave Marias a Nossa Senhora para que
acompanhe sempre as famílias ao longo do caminho da vida.

Ave
Maria…

P- Salve Rainha…

 

 

Evangelho – (Mc 10, 28-31)

 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo
segundo São Marcos

 

Então Pedro começou a dizer-lhe: “Olha, nós
abandonamos tudo e te seguimos”. Jesus respondeu: “Eu vos asseguro: ninguém que
deixou casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos, ou terras por
causa de mim e do Evangelho, deixará de receber já no tempo presente cem vezes
mais casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e terras no meio de perseguições, e no
mundo vindouro, a vida eterna. Mas muitos dos primeiros serão os últimos e dos
últimos serão os primeiros”.

 

Palavra da Salvação.

 

 

 

 

Preces

 

P. Irmãs e irmãos, oremos para que a Igreja e toda a
humanidade participem da plenitude de graças e bênçãos com que Deus enriqueceu
a Virgem Maria, dizendo cheios de fé:

Nós
vos pedimos, Senhor, ouvi-nos.

 

1 – Senhor Jesus, obrigado pela Mãe que nos
destes. Que Ela acolha as nossas famílias no Seu regaço, como Te acolheu a Ti,
no Teu nascimento e na descida da cruz. Oremos irmãos

 

2 – Senhor Jesus, obrigado pelo Teu imenso amor.
Que a lembrança da Tua dor nos dê força para ultrapassarmos as dificuldades da
vida. Oremos irmãos.

 

3 – Senhor Jesus, não nos deixes esquecer o
gesto de Pilatos. Só não esquecendo, teremos noção de como é importante
estarmos atentos aos que nos rodeiam, para evitarmos que sofram. Oremos irmãos.

 

4 – Senhor Jesus, obrigado por nos ensinares a
rezar, mas também a dizer “faça-se a Tua vontade e não a minha”. Que Maria, nos
ajude a estarmos sempre prontos para seguir o Teu caminho. Oremos irmãos.

 

5 – Senhor Jesus, Tu que amas os pequeninos,
acolhe uma prece especial por todas as mães e pais da nossa comunidade. Coloca
sobre eles as Tuas mãos e ajuda-os na missão de conduzir para Ti os seus
filhos. Oremos irmãos.

 

6 – Senhor Jesus, nós sabemos que tu és o
Messias, o Filho de Deus Vivo. Mas aumenta em nós a nossa fé e o nosso amor por
ti, para que a nossa vida seja um verdadeiro testemunho da tua mensagem. Oremos
irmãos

 

 

Oração
conclusiva

 

P. Senhor Deus, Pai de amor, fortalecei o nosso
coração e o nosso entendimento com a força do vosso amor. Fazei que, à imagem de
Maria, a Mãe do Amor perfeito, saibamos respeitar o dom maravilhoso da vida
humana, e nos tornemos para todos oportunidade de viver o amor e a
solidariedade. PNSJC…

 

 

 

P- O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o
mal e nos conduza à vida eterna.

A Ámen.

P- Bendigamos ao Senhor.

A- Graças a Deus.

 

Partilhe

Facebook
WhatsApp

Mais recursos

Todas
Recursos 502
Oração 174
Músicas 0
Técnicas e Dinâmicas 31
Avaliar-me-catequista-crente
Avaliar-me como catequista e como crente!
Partilhamos um esquema de avaliação e desempenho para catequistas. Não pretende fazer acusações nem premiar...
Pentecostes-1
Pentecostes ou as línguas de fogo
O livro "Da mão para o coração - 5 minutos de criatividade para a Bíblia" sugere uma atividade para se...
6 dicas Tempo Pascal
Seis ideias para dinamizar o Tempo Pascal

Há diversas formas de convidar a comunidade a celebrar a Páscoa.

Dia do Pai
Dia do pai - celebração familiar
Este dia celebra-se no dia 19 de março, porque é o dia de S.José. Sugerimos esta breve celebração antes...
5 dicas para a Quaresma
5 dicas para dinamizar a Quaresma
Neste artigo, damos-te cinco dicas para dinamizares a Quaresma, envolvendo as crianças e famílias da...
Dramatização do Evangelho
Dramatização do Evangelho
A dramatização é uma das linguagens possíveis para anunciar o Evangelho. No teatro, comunicamos com o...
Como lidar com fracasso catequese
Como lidar com o fracasso na catequese?

Às vezes, as coisas correm mal. Como reagir?

Festa da Gratidão
Festa da Gratidão - Encerramento do ano
Quando termina um ano de atividades, é oportuno que a comunidade se reúna para agradecer. A este momento...