Lectio Divina: 34º Domingo tempo Comum Ano A

O Pe. Tarcízio propõe um esquema de lectio divina a partir das leituras do próximo domingo (festa de Cristo Rei).

TEXTO do EVANGELHO


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
«Quando o Filho do homem vier na sua glória com todos os seus Anjos, sentar-Se-á no seu trono glorioso. Todas as nações se reunirão na sua presença e Ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos; e colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda.
Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita:
‘Vinde, bem ditos de meu Pai; recebei como herança o reino que vos está preparado desde a criação do mundo. Porque tive fome e destes-Me de comer; tive sede e destes-me de beber; era peregrino e Me recolhestes; não tinha roupa e Me vestistes; estive doente e viestes visitar-Me; estava na prisão e fostes ver-Me’.
Então os justos Lhe dirão:
‘Senhor, quando é que Te vimos com fome e Te demos de comer, ou com sede e Te demos de beber? Quando é que Te vimos peregrino e te recolhemos, ou sem roupa e Te vestimos? Quando é que Te vimos doente ou na prisão e Te fomos ver?’
E o Rei lhes responderá:
‘Em verdade vos digo: Quantas vezes o fizestes a um dos meus irmãos mais pequeninos, a Mim o fizestes’.
Dirá então aos que estiverem à sua esquerda:
‘Afastai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o demónio e os seus anjos. Porque tive fome e não Me destes de comer; tive sede e não Me destes de beber; era peregrino e não Me recolhestes; estava sem roupa e não Me vestistes; estive doente e na prisão e não Me fostes visitar’.
Então também eles Lhe hão-de perguntar:
‘Senhor, quando é que Te vimos com fome ou com sede, peregrino ou sem roupa, doente ou na prisão, e não Te prestámos assistência?’
E Ele lhes responderá:
‘Em verdade vos digo: Quantas vezes o deixastes de fazer a um dos meus irmãos mais pequeninos, também a Mim o deixastes de fazer’. Estes irão para o suplício eterno e os justos para a vida eterna».


 


2ª feira


Palavra


Vinde, bem ditos de meu Pai; recebei como herança o reino que vos está preparado desde a criação do mundo.


Meditação

“Vinde”… Como é que eu recebo os convites do Senhor? De que modo tenho actuado na minha vida a herança do reino que nos está preparada?
“Vinde bem ditos de meu Pai”… há também os outros, os que não são bem-vindos… Qual é o critério que “o rei” utiliza para acolher uns e rejeitar outros?
Diante deste convite, onde é que eu me coloco?


Oração

Senhor: quero caminhar para Ti. Realizar o teu Reino na minha vida. Ser dos teus escolhidos, porque fiel à tua Palavra. Quero ser hoje e aqui teu “bem dito” de quem podes falar “bem”, porque pertença Tua. Ajuda-me a caminhar para Ti e somente para Ti.


Acção

Hoje vou procurar ser “todo do Senhor”. Somente D’Ele. Receber o seu convite “Vinde”. Ser “bem dito” do Pai!


3ª feira


Palavra

Porque tive fome e destes-Me de comer; tive sede e destes-me de beber; era peregrino e Me recolhestes; não tinha roupa e Me vestistes; estive doente e viestes visitar-Me; estava na prisão e fostes ver-Me’.
Então os justos Lhe dirão:
‘Senhor, quando é que Te vimos com fome e Te demos de comer, ou com sede e Te demos de beber? Quando é que Te vimos peregrino e te recolhemos, ou sem roupa e Te vestimos? Quando é que Te vimos doente ou na prisão e Te fomos ver?’


Meditação

Isto é muito pedir: parece ser que o mais importante é a atitude de amor ou de indiferença para com os irmãos mais pequenos de Jesus, que se encontram em situações dramáticas de necessidade – os que têm fome, os que têm sede, os peregrinos, os que não têm que vestir, os que estão doentes, os que estão na prisão… Quem são estes “irmãos mais pequenos” com quem me posso encontrar e que me encaminham para “o encontro com Jesus”? Sou capaz de neles ver, amar e servir a Jesus? Quando é que “Te” vemos assim? Quando?


Oração

Há muito tempo, Senhor, que não “te encontro”… Também eu sou “desses” que precisa que “alguém” me veja com fome de ti… com sede do teu amor… peregrino sem destino no dia-a-dia… Doente e aprisionado por tantas coisas… Como posso ir ao teu encontro se tenho tão pouco para dar?… Como posso encontrar-Te? Eu que tanto preciso de ti… Senhor, ajuda-me a encontra-me Contigo…


Acção

Procurar “abrir os olhos” à nossa volta e ver onde se encontra o irmão a precisar de mim. Na minha família. Na minha escola. Entre os meus amigos. Nada dizer. Somente ver como Jesus pode estar por aí à minha espera…


4ª feira


Palavra

‘Em verdade vos digo: Quantas vezes o fizestes a um dos meus irmãos mais pequeninos, a Mim o fizestes’.


Meditação

Jesus identifica-se com os pequenos, os pobres, os débeis, os marginalizados; manifestar amor e solidariedade para com o pobre é fazê-lo ao próprio Jesus e manifestar egoísmo e indiferença para com o pobre é fazê-lo ao próprio Jesus.
Aqui pobres e marginais são muitos. Somos todos os que andamos longe. Os que não somos amados. Os que desconhecemos o Evangelho do Senhor, e toda a misericórdia que o Senhor demonstra por aqueles que estão necessitados D’Ele. Eu primeiro. Depois, tantos a precisar do meu amor e do meu testemunho…


Oração

Foste tu, Senhor, que me ensinaste o caminho. És tu, Senhor, o guia que me conduz. O “Bom Pastor” que não abandona as suas ovelhas. Quero agradecer-te a tua predilecção. O teu afecto. O teu carinho. O teu amor. Obrigado, Senhor, porque me ensinas a amar-Te nos mais pequeninos e necessitados. Quando te encontrei, amei-Te, porque foste pobre, doente, simplesmente pequenino. Amo-Te, Senhor.


Acção

Descobre alguém a quem amar, como o Senhor nos ensina.


5ª feira


Palavra

‘Afastai-vos de Mim, malditos’


Meditação

Este critério mata. É avassalador. No fundo, viver o amor e a solidariedade para com os pobres, os pequenos, os desprotegidos, os marginalizados é, em última análise, o critério que decide a entrada ou a não entrada no Reino de Deus. Isto decide a felicidade ou a distância. “Afastar-se de Deus”… como andamos tantas vezes longe… e queixando-nos do “Seu” silêncio… Quando “Ele” está tão perto de nós… Tão perto “que até lhe posso tocar”… Jesus anda por aí à espera que O ame… se não amar, afasto-me D’Ele… Torno-me distante… Distante de Jesus… que desventura!


Oração

Não me deixes nunca afastar-me de ti. Não me deixes adormecer no meu egoísmo, Senhor. Eu quero amar. Estou disposto a seguir-te, amando-te nos irmãos. Construindo o teu Reino. Sendo Evangelho repartido. Partir de mim, para te encontrar a Ti. O teu Amor. E não há maior prova de amor do que dar a vida pelos amigos… e por todos! Até (e sobretudo) os inimigos.


Acção

Tu verás…


6ª feira


Palavra

“os justos (irão) para a vida eterna”.



Meditação

Os justos… já percebemos que o critério de justiça aqui rompe com os meus esquemas… com as minhas ideias… com o meu ser… O prémio é demasiado distante para me motivar… Para definir quem é uma “pessoa de sucesso” o Evangelho apresenta a capacidade de amar o irmão, sobretudo o mais pobre e desprotegido. Como isto anda longe dos “critérios do mundo”. Como isto anda longe de mim. Para mim, o que é que faz mais sentido: o critério do mundo ou o critério de Deus? Na minha perspectiva, qual é mais útil e necessário: o “homem de sucesso” do mundo ou o “homem de sucesso” de Deus?



Oração

Para mim basta, Senhor. É mais forte do que eu. Preciso agora da tua Graça. Do teu dom. Desse teu sentido para me dar sentido. Afinal, preciso de ti. Os critérios deste mundo, da vida e do sucesso, afastam-me da tua vontade. Não é o dinheiro ou o poder que me “darão a vida eterna”… És tu, meu Senhor… És tu, meu Senhor… quando amar e me desprender dos meus egoísmos… Ajuda-me, Senhor! Não peço mais que um pouco de fé para poder mover todas as montanhas da vida que me afastam de ti… Ajuda-me, Senhor, a encontrar-Te em quem amo. Não… em quem precisa do teu amor!


Acção

“Tarde te amei” – dizia Sto. Agostinho. O meu tempo e a minha vida entregues a Deus.



Sábado


Palavra

O Senhor é meu pastor, nada me falta! – salmo 22 (23)


Meditação

Faz destas palavras do Salmo a tua oração. Escuta uma versão cantada deste salmo e medita-o em coração. Faz as perguntas certas. Para que o Senhor, seja verdadeiramente o teu pastor e tu ovelha predilecta do seu rebanho que é a Igreja.


Oração

Dessa meditação faz oração. A tua oração.


Acção

Prepara com tranquilidade o domingo. É a festa de “Cristo Rei”. O Senhor tem uma mensagem para ti. Participa com fé e alegria com a comunidade na celebração do Senhor, na eucaristia. Vai ao seu encontro, “bem dito D’Ele” e oferece-te aos irmãos que de ti precisam!



Partilhe

Facebook
WhatsApp

Mais recursos

Todas
Recursos 502
Oração 174
Músicas 0
Técnicas e Dinâmicas 31
Avaliar-me-catequista-crente
Avaliar-me como catequista e como crente!
Partilhamos um esquema de avaliação e desempenho para catequistas. Não pretende fazer acusações nem premiar...
Pentecostes-1
Pentecostes ou as línguas de fogo
O livro "Da mão para o coração - 5 minutos de criatividade para a Bíblia" sugere uma atividade para se...
6 dicas Tempo Pascal
Seis ideias para dinamizar o Tempo Pascal

Há diversas formas de convidar a comunidade a celebrar a Páscoa.

Dia do Pai
Dia do pai - celebração familiar
Este dia celebra-se no dia 19 de março, porque é o dia de S.José. Sugerimos esta breve celebração antes...
5 dicas para a Quaresma
5 dicas para dinamizar a Quaresma
Neste artigo, damos-te cinco dicas para dinamizares a Quaresma, envolvendo as crianças e famílias da...
Dramatização do Evangelho
Dramatização do Evangelho
A dramatização é uma das linguagens possíveis para anunciar o Evangelho. No teatro, comunicamos com o...
Como lidar com fracasso catequese
Como lidar com o fracasso na catequese?

Às vezes, as coisas correm mal. Como reagir?

Festa da Gratidão
Festa da Gratidão - Encerramento do ano
Quando termina um ano de atividades, é oportuno que a comunidade se reúna para agradecer. A este momento...