Catequese é lavagem Cerebral!

Como qualquer outro empreendimento humano, a catequese é capaz de envolver por inteiro quem a ela se entrega.

Com (e por) inúmeras razões a justificar tal teimosia de acreditar nesta «educação na fé», uma multidão de pessoas, cristãs, e muito crentes, continuam a investir o seu tempo em… catequese.

 

Certo é que outras tantas vezes apenas o fazem pelo simples gozo de acompanhar estas novas gerações de crianças, adolescentes e jovens (e mais algumas categorias intermédias que gostam de inventar).

 

Do perfil do catequista

Um pouco de professor, de educador, sem matéria científica. Um pouco de pai, de mãe, sem relação biológica. E um pouco de padre, de pastor, sem batina e sem qualquer “ordem” que não a do Evangelho: ide e anunciai! (Marcos 16, 15)

 

Usualmente, é nesta mistura de funções e perfis onde o catequista procura encontrar o seu perfil. E, sabe lá Deus como, definir a sua identidade com clareza suficiente para evitar mal entendidos, ou alimentar vícios que em nada contribuem para a vitalidade das nossas comunidades.

 

Entristece ver catequistas verdadeiramente apaixonados pela catequese, incapazes de reagir perante estas situações. Ou por não darem uma dinâmica vivencial aos seus encontros, ou por não integrarem os pais na caminhada de fé dos seus filhos, ou por acharem que lhes compete transmitir toda a doutrina do mundo católico. Enfim, um novelo emaranhado de más práticas e de muito pouco bom senso.

 

Da catequese de qualidade

Que não existem fórmulas mágicas, nem respostas certas, penso que todos já sabem (ou deviam saber). Mas não será necessário reinventar a roda, pois existem já bastantes pistas, capazes de iluminar o caminho sobre como fazer uma catequese de maior qualidade.

 

Estas pistas encontram-se na própria fonte da nossa fé, a Bíblia, e na história da Igreja. Deixo a parte oficial a quem de direito, mas – como sou eu que mando no teclado neste momento – escrevo um pouco daquilo que penso:

 

  • Situações difíceis com origem numa sociedade que está contra os valores do evangelho, é coisa mais do que natural. Temos de perder a mania de que «hoje em dia somos uns desgraçadinhos, porque a televisão, a escola e os pais não ajudam em nada».
  • O encontro semanal não serve só para encher as igrejas na «missa da catequese»; a caminhada desenvolvida é planeada, executada e avaliada com base na possibilidade de acompanhar o crescimento gradual e as suas várias etapas. Sim, sim, acompanhamento! Do grupo e da pessoa per se.
  • Serviços mínimos com posições vagas sobre os objectivos e planos da catequese, ou são resultado de má comunicação, ou arriscam-se a ser a causa de um definhar das mentalidades.

Queres ajuda a desenrolar o nó? Foca-te no essencial.

  • Dar a conhecer Jesus Cristo.
  • Integrar na comunidade.
  • Testemunhar a dinâmica do Evangelho.

E para resgatar estes horizontes, há que reciclar continuamente o catequista-cristão ..aquele que é antes de mais amigo de Cristo, activo na construção da comunidade e expressão quotidiana da brutal alegria da fé.

 

É isto, ou estaremos a hipotecar as futuras gerações de cristãos. Ou, pelo menos, a dar mais trabalho ao Espírito Santo para desfazer toda esta confusão!

 

Lavagem cerebral

Há algumas pessoas que perdem o seu tempo a esboçar insultos e acusações ao cristianismo, em especial ao catolicismo. Confesso que até aprecio bastante certos comentários, porque dão-me ideias giras para desenvolver em textos como este!

 

Um dos comentários recorrentes é sobre a catequese como meio de lavagem cerebral das crianças, uma estratégia de angariação de «novos membros», logo desde cedo. Permitam-me que, enquanto catequista, manifeste o meu repúdio: nhheeee… Pronto, é isto…

 

Como aqueles que me conhecem já sabem, tenho tendência para ser sarcástico e brincalhão nessas alturas e, com isso, dizer coisas mais sérias.

 

Lavagem cerebral? Sim senhora, e da de mais alta qualidade. Capaz de refrescar o que de menos bom existe em cada um, por oferecer experiência humana entranhada de sentido. Capaz de conduzir à transcendência de si mesmo, por dar razão de esperança e motivo profundo à existência. Capaz de mudar a vida de quem a abraça, por ser local de encontro com Cristo.

 

Desculpem se incomoda. Mas a catequese é! assim, graças a Deus 😉

Partilhe

Facebook
WhatsApp

Mais recursos

Todas
Recursos 502
Oração 174
Músicas 0
Técnicas e Dinâmicas 31
Avaliar-me-catequista-crente
Avaliar-me como catequista e como crente!
Partilhamos um esquema de avaliação e desempenho para catequistas. Não pretende fazer acusações nem premiar...
Pentecostes-1
Pentecostes ou as línguas de fogo
O livro "Da mão para o coração - 5 minutos de criatividade para a Bíblia" sugere uma atividade para se...
6 dicas Tempo Pascal
Seis ideias para dinamizar o Tempo Pascal

Há diversas formas de convidar a comunidade a celebrar a Páscoa.

Dia do Pai
Dia do pai - celebração familiar
Este dia celebra-se no dia 19 de março, porque é o dia de S.José. Sugerimos esta breve celebração antes...
5 dicas para a Quaresma
5 dicas para dinamizar a Quaresma
Neste artigo, damos-te cinco dicas para dinamizares a Quaresma, envolvendo as crianças e famílias da...
Dramatização do Evangelho
Dramatização do Evangelho
A dramatização é uma das linguagens possíveis para anunciar o Evangelho. No teatro, comunicamos com o...
Como lidar com fracasso catequese
Como lidar com o fracasso na catequese?

Às vezes, as coisas correm mal. Como reagir?

Festa da Gratidão
Festa da Gratidão - Encerramento do ano
Quando termina um ano de atividades, é oportuno que a comunidade se reúna para agradecer. A este momento...