Como dizer-lhe que já não o amo?

O que é que vos aconteceu? Até há muito pouco tempo, estáveis tão seguros do vosso sentimento em relação um ao outro! Jurastes mutuamente que haveria de ser para sempre e, contudo...

O outro já não vos atrai como dantes. Até descobristes nele/a aspectos que já não vos agradam, comportamentos errados.
Com frequência, acontece que a mudança é causada por pequenos factos de per si desprezáveis, mas… Como que levado por uma rabanada de vento, o vosso sentimento vai-se. É sinal de que alguma coisa não ia bem desde o começo.
Assim, chega-se a um momento em que já não se desejam os beijos e as atenções do outro.
Mas aspira-se por duas coisas imediatamente e a todo o custo: a liberdade e a paz.
«E agarra-te a mim, porque, se algo nos acontecer de mal, cairemos juntos e  juntos saberemos cair».
Ligabue
E que ninguém vos pergunte porquê ou como. É assim e basta, não se pode fazer nada.No entanto, é preciso comunicar ao outro esta desagradável mudança de rota.Que táctica usar? Ser directo e «descarregar» tudo, ou ser meigo e arriscar nunca lhe dar a entender nada?
Podeis escolher o caminho que quiserdes, se, realmente, acreditais que romper a relação é a coisa mais justa. Todavia, deveis ter presentes algumas regras.


O «OUTRO»

Lembrai-vos de que a pessoa que tendes diante de vós tem um coração exactamente igual ao vosso: sofre, alegra-se e entristece-se, precisamente como vós. Pensar que ela não sofrerá quando lhe dizeis: «Já não te amo» é simplesmente sonhar. Sofrerá e também sofrereis
juntamente com ela (talvez pouco, talvez muitíssimo).
Procurai, então, ser simples e sinceros quando lhe falardes (ou escreverdes). Como sempre, a sinceridade é o único modo de enfrentar os problemas sem medos exagerados.

FALAI…

Se agora pensardes «Já não o amo», significa que houve um momento (não há muito tempo) em que gostastes um do outro. Depois, alguma coisa aconteceu e um dia que deveria ser cheio de sol transformou-se num tempo chuvoso e frio.
Se desejardes romper com a relação, falai e discuti juntos acerca dos obstáculos que encontrastes. Servirá para ambos: servirá, sobretudo, para o outro que, posto perante os problemas que encontrastes, talvez se convença de que não éreis feitos um para a outra.

CONTINUAIS DECIDIDOS?

Ainda continuais a querer «cortar» a relação? Então, é bom que saibais que os rapazes têm modos de reagir perante a mesmíssima afirmação
– «Já não te amo» – que são absolutamente diferentes dos das raparigas.
Em geral, os rapazes não aceitam bem. Enfurecem-se, zangam-se e agitam-se.


CONSELHOS ÀS RAPARIGAS

Sede muito, muito meigas. E convincentes, o mais que puderdes. Não vos deixeis atemorizar, mas também não será o caso de começar uma guerra! Se, para vós, a história já terminou realmente, ele compreenderá. Talvez não imediatamente (provavelmente não vos falará durante algum tempo), mas por fim, compreenderá.
As raparigas, pelo contrário, tendem a usar uma arma muito poderosa que todos possuem: as lágrimas. Perante uma história que acaba, se a rapariga está ainda apaixonada, fará tudo para que o seu parceiro mude de ideias. Chorará, sentir-se-á culpada e far-vos-á sentir destruídos.

CONSELHO AOS RAPAZES

Tende presente a sensibilidade das raparigas e não torneis as coisas ainda mais «pesadas» com frases como: «Já não te amo, porque és má e tens um péssimo carácter». Sede, também vós, convincentes (mas não falsos!), e muito sinceros. Não espereis que elas vos compreendam imediatamente nem, muito menos, que vos rejeitem por completo. Uma história que termina não é muito exaltante: nem para quem toma dela conhecimento (o outro) nem para quem a encerra (vós).

CORTAR

Frequentemente, cortar cerce não é o modo certo para recomeçar a ser feliz. Por vezes é…, mas custa muito recomeçar tudo do princípio. Não acreditais? Garante-vo-lo quem vos escreve: quando um casal renuncia a existir e os dois se separam, tornando-se indivíduos, pessoas diferentes e, até algumas vezes, indiferentes, nem sempre é fácil reconquistar o sorriso, nem sempre se está imediatamentre pronto a entrar noutra história que se sonha mais bela, mais romântica e «mais perfeita».
Por isso, prestai atenção: nunca brinqueis aos casais nem (muito menos!) simuleis separações, se isso não for absolutamente necessário. O amor precisa de crescer em vós, mas não de ser bloqueado!

Partilhe

Facebook
WhatsApp

Mais recursos

Todas
Recursos 502
Oração 174
Músicas 0
Técnicas e Dinâmicas 31
Avaliar-me-catequista-crente
Avaliar-me como catequista e como crente!
Partilhamos um esquema de avaliação e desempenho para catequistas. Não pretende fazer acusações nem premiar...
Pentecostes-1
Pentecostes ou as línguas de fogo
O livro "Da mão para o coração - 5 minutos de criatividade para a Bíblia" sugere uma atividade para se...
6 dicas Tempo Pascal
Seis ideias para dinamizar o Tempo Pascal

Há diversas formas de convidar a comunidade a celebrar a Páscoa.

Dia do Pai
Dia do pai - celebração familiar
Este dia celebra-se no dia 19 de março, porque é o dia de S.José. Sugerimos esta breve celebração antes...
5 dicas para a Quaresma
5 dicas para dinamizar a Quaresma
Neste artigo, damos-te cinco dicas para dinamizares a Quaresma, envolvendo as crianças e famílias da...
Dramatização do Evangelho
Dramatização do Evangelho
A dramatização é uma das linguagens possíveis para anunciar o Evangelho. No teatro, comunicamos com o...
Como lidar com fracasso catequese
Como lidar com o fracasso na catequese?

Às vezes, as coisas correm mal. Como reagir?

Festa da Gratidão
Festa da Gratidão - Encerramento do ano
Quando termina um ano de atividades, é oportuno que a comunidade se reúna para agradecer. A este momento...