Nunca me diz «Amo-te»

«Saímos juntos durante três meses e, em todo aquele tempo, nunca me disse que me ama, nem sequer que gosta de mim! E eu, ao contrário, estou sempre a repeti-lo!».
Estas palavras provêm de uma pessoa como vós, desconsolada e preocupada, mas também um pouco furiosa pelo facto de o seu rapaz nunca lhe exprimir os seus sentimentos.
Será, então, tão fácil como parece, dizer «Amo-te» ou conseguir exprimir ao outro tudo aquilo que se passa no coração, sem parecer desajeitado ou demasiado ingénuo ou exageradamente piegas?
Ou é uma tarefa que exige muito trabalho e coragem ? Ou depende de qualquer outra coisa?
«No teu silêncio sei que me amas. Também tu, quando eu me calo sabes que te amo».
Anselmo di Aosta

SEPAREMOS OS HOMENS…

Quem vos escreve convivia, já lá vão uns anos, um rapaz realmente OK, um daqueles que são um raio num céu azul por quem a gente se apaixona imediatamente.
Pois bem, o rapaz, mesmo sendo esplêndido, tinha esta característica: não se pronunciava, nunca dizia «Gosto de ti» nem muito menos «Não gosto de ti». Ficava fechado num silêncio misterioso; mas isto, acreditai, provocava-me não poucos problemas!
A característica do silêncio no campo sentimental é típica dos rapazes. São capazes de falar de futebol ou de motas durante horas e horas seguidas; mas é-lhes muito difícil falar de si mesmos e dos seus sentimentos.
Os rapazes não são muito atraídos pelas bonitas cartas de amor; preferem um abraço ou passear de mãos dadas. A dimensão concreta é típica do rapaz que pode ficar indiferente diante das palavras, mas que nunca é indiferente a um corpo belo.

…DAS MULHERES

Das mulheres pode dizer-se tudo, menos que sejam tímidas ou caladas! Aliás, habitualmente, são as primeiras a dizer «Amo-te», mesmo quando sentem somente um pouco de simpatia.
Se dependesse de vós, raparigas, estariam na ordem do dia as cartinhas perfumadas, os desenhinhos nos diários e as longuíssimas conversas muito ternas.
Uma rapariga nunca é insensível às palavras e espera sempre aquele «amo-te» sincero que faz sonhar. E, assim, depois de, talvez, terdes falado durante duas horas com o vosso amigo e lhes terdes abrido o coração, percebestes que estais ao lado de uma pessoa que prefere não falar «de certas coisas» e que, sobre aquele tema, é tão mudo como um peixe. E neste momento que nascem os problemas!

SILÊNCIO TOTAL

Depois de terdes tomado consciência de que a psicologia masculina é diferente da feminina e de que, por isso, também o modo de exprimir o amor é diverso, vejamos mais algum aspecto do «silêncio no amor».
O silêncio total, isto é, nunca dizer «Gosto de ti», pode ter muitas motivações. Antes de tudo, a culpa poderá ser da timidez, que bloqueia e impede de falar. As pessoas tímidas não são cobardes, mas sentem e vivem os seus sentimentos mais do que os outros.
Além disso, talvez pensem: não é preciso pôr um anúncio no jornal para dizer a toda a gente que nos amamos!
Noutro caso, pelo contrário, a pessoa que nunca diz «Amo-te» poderia não pretender comprometer-se (lembrai-vos do provérbio: «O que está dito, está dito»? Para não se comprometer demasiado, alguns, não muitoseguros do sentimento que na realidade, exprimentam, preferem não dizer nada, com medo de dizer mentiras e de fazer mal à outra pessoa.
Rapazes, nunca vos esqueçais de que a belíssima frase «Amo-te» não deve ser dita levianamente, como se se dissesse «Vou de autocarro
». O amor é um sentimento demasiado belo e grande para se usar e gastar sem motivo.

UM MODO DE SABERDES SE VOS
AMA

Por conseguinte, se a pessoa de quem gostais nunca vos diz que gosta de vós, isso não significa que não goste realmente de vós (desculpai estas repetições!). Mas, se quereis saber a verdade, em vez de lho perguntardes directamente, observai o seu comportamento. Está atento/a a vós? Adivinha os vossos desejos e as vossas necessidades? Respeita-vos? Está disposto/a a fazer algum sacrifício para tornar-vos felizes? São pequenos sinais que equivalem a dizer-vos: «Amo-te». Além disso, não façais uma tragédia por uma frase não dita, por uma palavrinha somente sussurrada e não gritada ao mundo inteiro.
Se, pelo contrário, pertenceis à categoria de pessoas que preferem calar (por muitos motivos), procurai aprender, com o tempo, a dizer o que pensais. Asseguro-vos que dizer: «Gosto de ti», é uma das acções que fazem saltar o coração.
Para concluir, uma pequena nota histórica. Lem-brais-vos do «adolescente» de que se falava no início: esplêndido e maravilhoso, mas demasiado silencioso? Pois bem, a história não terminou. E verdade que ele procurava não falar nem de amor nem de bem, mas quando era colocado entre a espada e a parede (quando, finalmente, eu o «atacava» porque já não podia mais), perante o pedido insistente: «Diz-me que
gostas de mim», fitava-me nos olhos e sorrindo, susurrava: «Tu bem sabes».

 

Partilhe

Facebook
WhatsApp

Mais recursos

Todas
Recursos 502
Oração 174
Músicas 0
Técnicas e Dinâmicas 31
Avaliar-me-catequista-crente
Avaliar-me como catequista e como crente!
Partilhamos um esquema de avaliação e desempenho para catequistas. Não pretende fazer acusações nem premiar...
Pentecostes-1
Pentecostes ou as línguas de fogo
O livro "Da mão para o coração - 5 minutos de criatividade para a Bíblia" sugere uma atividade para se...
6 dicas Tempo Pascal
Seis ideias para dinamizar o Tempo Pascal

Há diversas formas de convidar a comunidade a celebrar a Páscoa.

Dia do Pai
Dia do pai - celebração familiar
Este dia celebra-se no dia 19 de março, porque é o dia de S.José. Sugerimos esta breve celebração antes...
5 dicas para a Quaresma
5 dicas para dinamizar a Quaresma
Neste artigo, damos-te cinco dicas para dinamizares a Quaresma, envolvendo as crianças e famílias da...
Dramatização do Evangelho
Dramatização do Evangelho
A dramatização é uma das linguagens possíveis para anunciar o Evangelho. No teatro, comunicamos com o...
Como lidar com fracasso catequese
Como lidar com o fracasso na catequese?

Às vezes, as coisas correm mal. Como reagir?

Festa da Gratidão
Festa da Gratidão - Encerramento do ano
Quando termina um ano de atividades, é oportuno que a comunidade se reúna para agradecer. A este momento...