Quaresma 15 Mar 09

Espantosas palavras!

Estava próxima a Páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. Encontrou no templo os vendedores de bois, ovelhas e pombas, e os cambistas nos seus postos. Então, fazendo um chicote de cordas, expulsou-os a todos do templo com as ovelhas e os bois; espalhou as moedas dos cambistas pelo chão e derrubou-lhes as mesas; e aos que vendiam pombas, disse-lhes: «Tirai isso daqui. Não façais da Casa de meu Pai uma feira.»

Os seus discípulos lembraram-se do que está escrito: O zelo da tua casa me devora. Então os judeus intervieram e perguntaram-lhe: «Que sinal nos dás de poderes fazer isto?» Declarou-lhes Jesus, em resposta: «Destruí este templo, e em três dias Eu o levantarei!» Replicaram então os judeus: «Quarenta e seis anos levou este templo a construir, e Tu vais levantá-lo em três dias?» Ele, porém, falava do templo que é o seu corpo. Por isso, quando Jesus ressuscitou dos mortos, os seus discípulos recordaram-se de que Ele o tinha dito e creram na Escritura e nas palavras que tinha proferido.

Enquanto Ele estava em Jerusalém, durante as festas da Páscoa, muitos creram nele ao verem os sinais miraculosos que realizava. Mas Jesus não se fiava deles, porque os conhecia a todos e não precisava de que ninguém o elucidasse acerca das pessoas, pois sabia o que havia dentro delas.(Jo 2, 13-25)

 

As palavras de Jesus soam sempre extraordinárias.

Dão, imediatamente, uma sensação de paz e de abandono.

Porque são palavras decididas, enérgicas, verdadeiras.

Palavras de quem sabe o que diz.

Palavras diferentes da conversa fiada que ouvimos todos os dias.

O estilo de Jesus mostra-nos coerência, unidade entre a mente e o coração.

Aquilo que Ele diz não é como a água dos rios que se perde no mar;

é a água necessária para regar a aridez na nossa história de vida.

O versículo 19 (Destruí este templo, e em três dias Eu o levantarei!) é um enorme desafio lançado por Jesus.

É uma afirmação quase insultuosa contra o templo; Jesus falava do seu corpo, da sua ressurreição.

Jesus bam sabia que não O entenderiam; e, tantas outras vezes, Jesus sabe que nós não O entendemos.

Mas as suas palavras, os seus pensamentos, os seus desejos, são expressão de um amor que nos salva.

Que nos salva sempre, desde que Lhe enreguemos a nossa confiança.

Orar

Irmão e amigo, Jesus.

Torna-nos capazes de dar aos outros as tuas palavras,

com a sabedoria de ligar mente e coração.

Faz da nossa vida um testemunho credível

da tua autenticidade para podermos ser palavra de esperança

a quem procura um sentido, um rumo para a vida.

Partilhe

Facebook
WhatsApp

Mais recursos

Todas
Recursos 502
Oração 174
Músicas 0
Técnicas e Dinâmicas 31
Avaliar-me-catequista-crente
Avaliar-me como catequista e como crente!
Partilhamos um esquema de avaliação e desempenho para catequistas. Não pretende fazer acusações nem premiar...
Pentecostes-1
Pentecostes ou as línguas de fogo
O livro "Da mão para o coração - 5 minutos de criatividade para a Bíblia" sugere uma atividade para se...
6 dicas Tempo Pascal
Seis ideias para dinamizar o Tempo Pascal

Há diversas formas de convidar a comunidade a celebrar a Páscoa.

Dia do Pai
Dia do pai - celebração familiar
Este dia celebra-se no dia 19 de março, porque é o dia de S.José. Sugerimos esta breve celebração antes...
5 dicas para a Quaresma
5 dicas para dinamizar a Quaresma
Neste artigo, damos-te cinco dicas para dinamizares a Quaresma, envolvendo as crianças e famílias da...
Dramatização do Evangelho
Dramatização do Evangelho
A dramatização é uma das linguagens possíveis para anunciar o Evangelho. No teatro, comunicamos com o...
Como lidar com fracasso catequese
Como lidar com o fracasso na catequese?

Às vezes, as coisas correm mal. Como reagir?

Festa da Gratidão
Festa da Gratidão - Encerramento do ano
Quando termina um ano de atividades, é oportuno que a comunidade se reúna para agradecer. A este momento...