Que aborrecimento estarmos juntos!

«Mas que aborrecimento estarmos juntos! No início, tudo corria bem; mas, depois…».«Eu gosto muito dele; mas ele… é muito diferente de mim!».
Ei, jovens, para começar até não está nada mal. Mas, começo de quê? É evidente que se trata da vossa relação, da vossa história (chamai-lhe
o que quiserdes). Depois de duas semanas de alegria e de paraíso, chegam as arrelias. Todas as qualidades do/a vosso/a rapaz/rapariga que
tanto vos fizeram perder a cabeça, parecem-vos, agora, obscurecidas por pequenos e grandes defeitos insuportáveis. Desejais deambular pelos
os passeios da avenida principal e ele boceja aborecido. Quereis ir ver o jogo e ela não vai porque não entende nada de futebol.
«Coisa mais bela não há coisa mais bela que tu, único como és …»
Eros Ramazzotti
(piropo enviado a Elisa Paradiso)
Sim, sim, gostais realmente um do outro; mas, por vezes, não vos compreendeis. E, então, como desemaranhar a meada? Largá-lo/a e procurar alguém com interesses mais semelhantes aos vossos ou tentar encontrar um caminho entre a avenida e o jogo?

PARA ELA

Ele esquece-se do dia do vosso aniversário.
Ele chega tarde ao encontro. Ele… Pois é.
É precisamente ele. Não é ela. É a primeira coisa que deveis saber. Sois diferentes, tendes um modo diferente de enfrentar as situações. Mas quem diz que ser diferente significa necessariamente desentendimentos, dramas e duelos pela última… palavra? Somos todos diferentes, mas a diversidade entre homens e mulheres é uma riqueza muito grande que, vivida numa relação especial, dá origem precisamente à vida. Por que querer que ele mude a todo o custo? É uma questão de justiça, dirá alguma, porque certos modos de fazer são insuportáveis.
Pode também ser necessário dizer claramente aquilo que é deveras desgradável e não funciona.
Contudo, por que não olhar com simpatia para algumas pequenas manias, para certos hábitos tão radicados, que fazem um bloco único com a
própria pessoa? Experimentai tirar as sardas de um rosto ou um pequeno sinal que está ao canto da boca? Mudará a face. Sem o sinal, o rosto já não é «aquele» rosto. Amar significa, afinal, gostar também de certos pequenos defeitos. Sem eles, também não haveria a pessoa. E, então?
O que fareis sem o «vosso» rapaz? Bem, ide com ele ver um jogo de futebol tão aborrecido! Até pode acontecer que vos apaixoneis pelo futebol,
ao verdes os campeões ao vivo! Isto não é «ceder», mas reconhecereis que há coisas boas nas escolhas do outro.

PARA ELE

Caros rapazes, o que atrás se disse às raparigas vale perfeitamente para vós. Com uma pequena achega: as raparigas não fazem de propósito, mas estão sempre alerta para controlar se as apreciais, considerais, estimais e olhais para elas! O vosso julgamento e a vossa atenção são fundamentais para elas. Uma saudação distraída ou um esquecimento podem feri-las muito, porque pensam imediatamente: «Pois é, já não gosta de mim», enquanto vós nem sequer imaginastes nada disto. Estáveis simplesmente distraídos e pronto! E, agora? Usai palavras e gestos para demonstrar que, realmente, gostais delas de modo especial. E se, de vez em quando, vos arrastam a lugares que ahais absurdos e sem nenhum interresse para vós, procurai ser de algum modo felizes: também o lugar absurdo faz parte do seu mundo. E gostais, realmente do seu mundo, não é verdade?

PARA TODOS

Estar juntos ser um «casal» é uma experiência belíssima, se for vivida com coração e cabeça na justa medida. A teoria do compromisso, para se viver em harmonia (teoria do compromisso: eu cedo um pouco contigo, se também cederes um pouco comigo) nem sempre é a melhor solução. Mas acreditai no respeito, na confiança, na estima e no sentimento que vos une e vos faz sentirdes-vos bem juntos, a despeito das dificuldades e das incertezas. Dificuldades e incertezas não desaparecem com um sopro! Contudo, ter uma relação óptima significa também conhecer os obstáculos e esforçarem-se os dois por enfrentá-los.
Uma coisa mais: não procureis o rapaz ou a rapariga perfeita! Não existe! Mas um rapaz ou uma rapariga poderão tornar-se especiais aos vossos olhos, se puserdes os óculos da simplicidade e da estima. Desta maneira, certamente, encontrareis juntos um bocadinho de felicidade.
Ciao!

Partilhe

Facebook
WhatsApp

Mais recursos

Todas
Recursos 502
Oração 174
Músicas 0
Técnicas e Dinâmicas 31
Avaliar-me-catequista-crente
Avaliar-me como catequista e como crente!
Partilhamos um esquema de avaliação e desempenho para catequistas. Não pretende fazer acusações nem premiar...
Pentecostes-1
Pentecostes ou as línguas de fogo
O livro "Da mão para o coração - 5 minutos de criatividade para a Bíblia" sugere uma atividade para se...
6 dicas Tempo Pascal
Seis ideias para dinamizar o Tempo Pascal

Há diversas formas de convidar a comunidade a celebrar a Páscoa.

Dia do Pai
Dia do pai - celebração familiar
Este dia celebra-se no dia 19 de março, porque é o dia de S.José. Sugerimos esta breve celebração antes...
5 dicas para a Quaresma
5 dicas para dinamizar a Quaresma
Neste artigo, damos-te cinco dicas para dinamizares a Quaresma, envolvendo as crianças e famílias da...
Dramatização do Evangelho
Dramatização do Evangelho
A dramatização é uma das linguagens possíveis para anunciar o Evangelho. No teatro, comunicamos com o...
Como lidar com fracasso catequese
Como lidar com o fracasso na catequese?

Às vezes, as coisas correm mal. Como reagir?

Festa da Gratidão
Festa da Gratidão - Encerramento do ano
Quando termina um ano de atividades, é oportuno que a comunidade se reúna para agradecer. A este momento...